Cirurgia Plástica Florianópolis

PLÁSTICA DE ABDÔMEN (ABDOMINOPLASTIA)

A busca por um melhor desenho da região abdominal é um grande motivo de procura por um cirurgião plástico. Várias técnicas foram desenvolvidas, cada qual com uma indicação específica (lipoaspiração, mini-abdômen, midi-abdômen, abdominoplastia clássica, abdominoplastia com lipoaspiração).

Quando avaliamos esta região corpórea, buscamos identificar a qualidade da pele (flacidez, estrias, celulite, presença de cicatrizes prévias, etc.), o acúmulo de gordura na parede abdominal, o estado dos músculos (hérnias, diástases, tônus, etc.) e o acúmulo de gordura visceral.

Estes fatores determinarão a técnica a ser escolhida e, conseqüentemente, o tipo e tamanho da cicatriz.

Grande acúmulo de gordura com flacidez e estrias na pele, gestações prévias, falta de atividade física, emagrecimentos rápidos, podem produzir um “abdômen em avental”, passível de correção somente através da técnica discutida neste capítulo. Nela retiramos o excesso de pele e gordura, refazemos a forma da cicatriz umbilical, realizamos o reposicionamento da musculatura abdominal e deixamos a pele com mais tônus. Posteriormente com as esperadas mudanças de hábito da paciente no tocante a alimentação, atividade física, controle de peso, entre outros pode-se conseguir um abdômen bem mais definido.

cirurgia plastica barriga




















































As questões mais solicitadas nesta cirurgia são:

1) Quantos quilos eu vou emagrecer com a minha plástica de abdômen?

Sendo uma cirurgia que retira determinada quantidade de pele e gordura, evidentemente haverá uma redução no peso corporal, que varia de acordo com o volume do abdômen de cada paciente. Não são, entretanto, os “quilos” retirados que definirão o resultado estético, mas sim as proporções que o abdômen manterá com o restante do corpo.

Vale a pena lembrar que “excesso de gordura” em outras regiões vizinhas do abdômen ainda existirão, o que nos leva a aconselhar aquelas que assim se apresentem, a prosseguir com um tratamento clínico (medicação), cirúrgico (lipoaspiração) ou fisioterápico (dermato-funcional), para equilibrar as diversas partes entre si.

2) A cirurgia de abdômen deixa cicatrizes?

Toda incisão cirúrgica deixa uma cicatriz. Temos sempre o cuidado de através de técnicas de sutura e de material cirúrgico de qualidade, oferecer ao paciente a cicatriz mais discreta possível. Infelizmente a qualidade cicatricial não depende somente desses fatores. As características genéticas e o tipo de pele de cada pessoa têm um papel fundamental neste resultado.

3) Onde se localizam as cicatrizes?

As cicatrizes resultantes localizam-se horizontalmente, normalmente com leve formato côncavo, acima da implantação dos pelos pubianos, prolongando-se lateralmente em maior ou menor extensão, dependendo do volume do abdômen a ser corrigido. São necessárias também junto ao umbigo e no púbis. Em casos especiais, cicatrizes alternativas poderão ser propostas.

4) Em quanto tempo atingirei o resultado definitivo?

No item 2 foram feitas algumas ponderações sobre a evolução das cicatrizes. Entretanto, resta ainda acrescentar algumas observações sobre o novo abdômen, no que tange à sua consistência, sensibilidade, volume, etc.

Nos primeiros meses, o abdômen apresenta uma insensibilidade relativa, além de estar sujeito a períodos de “inchaço”, que regridem com fisioterapia ou espontaneamente.

Nesta fase, poderá ficar com aspecto de “esticado” ou “plano”. Com o decorrer dos meses, tendo-se iniciado os exercícios orientados para modelagem, vai-se gradativamente atingindo o resultado definitivo. Nunca se deve considerar como definitivo qualquer resultado, antes de 12 a 18 meses de pós-operatórios.

5) É verdade que será feito um novo umbigo?

Não. O seu próprio umbigo será reposicionado e, se necessário, remodelado. Deve-se levar em conta que, circundando o umbigo existirá uma cicatriz que sofrerá a mesma evolução da cicatriz inferior (descrita no item 2).

6) A dermolipectomia abdominal corrige aquele excesso de gordura sobre a região do estômago?

Nem sempre. Isto depende do seu tipo de tronco (conjunto tórax + abdômen). Se ele for do tipo curto, dificilmente será corrigido. Sendo do tipo longo, o resultado será mais favorável. Também tem grande importância, sob este aspecto, a espessura do panículo adiposo (espessura da gordura) que reveste essa área do corpo. A lipoaspiração associada pode ser utilizada em alguns casos.

7) Qual o tipo de biquíni que poderei usar após a cirurgia?

Nos primeiros 90 dias a exposição ao sol está proibida. No período seguinte, o biquíni escolhido deve ser aquele que melhor lhe convier.

Nas grandes reduções abdominais, entretanto, a cicatriz horizontal é mais extensa, o que determinará a escolha do biquíni que melhor disfarce sua presença.

Lembre-se que o bisturi do cirurgião apenas aprimora suas próprias formas.

8) Poderei ter filhos futuramente? O resultado não ficará prejudicado?

O seu médico ginecologista lhe dirá da conveniência ou não de nova gravidez. Quanto ao resultado da cirurgia plástica, poderá ser preservado, desde que na nova gestação seu peso seja controlado por aquele especialista. Aconselhamos, entretanto, que tenha todos os filhos programados antes de se submeter a uma dermolipectomia abdominal.

9) Ouvi dizer que o pós-operatório da dermolipectomia abdominal é muito doloroso. É verdade?

Não. Uma dermolipectomia de evolução normal não deve apresentar dor intensa. O que existe é um grande equívoco por parte de certas pacientes, que são operadas simultaneamente de cirurgias ginecológicas associadas à dermolipectomia e relatam por isso, dores pós-operatórias.

10) Há perigo nesta operação?

Raramente a cirurgia de dermolipectomia traz sérias complicações, desde que realizada dentro de critérios técnicos. Isto se deve ao fato de se preparar convenientemente cada paciente para o ato operatório. Mesmo assim todo procedimento, por menor que seja, apresenta algum risco.

11) Que tipo de anestesia é utilizado para esta operação?

Anestesia geral ou peridural com sedação, conforme a indicação do anestesista responsável.

12) Quanto tempo dura o ato cirúrgico?

Em média 2 a 3 horas. Este período poderá ser prolongado, se o caso demandar. Entretanto, o tempo de ato cirúrgico não deve ser confundido com o tempo de permanência do paciente no ambiente de Centro Cirúrgico, pois, esta permanência envolve também o período de preparação anestésica e recuperação pós-operatória.

13) Qual o período de internação?

Normalmente 24 horas.

14) São utilizados curativos?

Sim. Curativos especiais, trocados periodicamente pela equipe do cirurgião.

15) Quando são retirados os pontos?

Atualmente usam-se rotineiramente pontos que são absorvidos pelo organismo, não sendo necessária sua retirada. Colas especiais para a pele também podem ser utilizadas. Quando pontos externos são necessários, a retirada destes é feita com 14 a 21 dias.

16) Quando poderei tomar banho completo?

Geralmente após a retirada de drenos especiais, que não permitem o acúmulo de líquidos na área operada (7 a 10 dias).

17) Onde é realizada esta cirurgia?

A cirurgia plástica de abdômen é realizada em Florianópolis, SC, normalmente no Baía Sul Hospital Dia, Hospital Baía Sul, ou Ilha Hospital e Maternidade. Eventualmente, durante a consulta, cirurgião e paciente podem optar por realizar o procedimento em outra cidade ou Hospital / Clínica de Cirurgia Plástica.


Baía Sul Medical Center, Sala 120 - Florianópolis - SC       +55 48 3333.3399